O TEATRO MÁGICO

 

Conhecido pela renovação da cena musical jovem no Brasil, o grupo O Teatro Mágico conquistou, desde 2003, três álbuns de estúdio, formação de plateia, musicalidade própria e a consolidação de uma identidade autoral, reconhecida pelo diálogo com as artes circenses, o teatro, a dança, a literatura, o cancioneiro popular, a política e a poesia.

 

A percepção de mudanças comportamentais - como o público se relaciona com a música e os seus artistas – trouxe para a companhia, o espírito de projeto de música livre na América Latina, o uso vanguardista de redes sociais como Facebook, Twitter e Youtube, além da criação da inusitada sigla MPB (Música para Baixar). Pioneira, no Brasil, na divulgação da música na Internet e do disponibilizar para download gratuito – em uma época em que poucos artistas usavam esse meio 

 

Andrea integra a trupe desde 2010, interpretando as canções do grupo e as transformando em gestos cênicos e movimentos conscistentes, trabalhando as diferentes poéticas do corpo utilizando-se dessa musicalidade para construção do movimento autêntico, hora no solo, hora no ar. Transformou o espaço performático do grupo, integrando as várias possibilidades de se ocupar o corpo com o propósito de alavancar o vigor da cena. Trouxe a performance para dialogar com as sonoridades criadas e hoje é responsavel pela direção de toda parte performática. 
As performances são autorais, algumas criações solo e outras em parceria de criação e atuação com as outras integrantes. 
 
São elas:
 
"Da Entrega"

Intreprete-criadora Andréa Barbour

 

Um novo aparelho entitulado "Gotas" foi criado especiamente para esta música, afim de possibilitar movimentos mais daçantes no ar. Os pontos de sustentação se localizam nas articulações de maneira que as extremidades do corpo ficam livres para movimentaçoes, abrindo espaço para gestos mais suaves e sem as tensão de ter que se utilizar da força para se manter no aparelho. 

 

 

 

"Amanha Será"

A crítica e o caos! Amanhã Será é inspirada nas revoluções e manifestações de jovens ao redor do mundo em que o uso das redes sociais tem sido tão importante quanto para a difusão da música.

 

 

Assista ao clipe:

"Perdoando o Adeus"

Criação Andrea Barbour, Nathalia Dias, Nayara Dias.

 

Atualmente interpretada por Andrea Barbour, Katia Tortorella e Manoela Rangel, eventuais participações de Nô Stopa.

Grão do Corpo
 

É o mais recente trabalho do grupo e evidencia a fase de amadurecimento e o despontar para sonoridades inéditas de sua trajetória. Em dez faixas autorais, e 6 criações performaticas o TM tece o seu universo lúdico com ares de transgressão, transitando entre o rock in roll, a disco club e influências assumidamente urbanas. As ruas, os seus movimentos e as particularidades de um cotidiano em uma metrópole dialogam com o espírito existencial e poético das letras, evidenciando que o “grão do corpo” não se trata de um olhar para o individualismo contemporâneo, mas, pelo contrário, o entendimento e a consciência de que esse corpo individual - pequeno grão - compõe o corpo social, o universo e as particularidades da Terra.

 

“É como se o mundo mágico, que ainda se mantém, se aproximasse de um novo imaginário do século XXI”, aponta a integrante da companhia, Andréa Barbour. Atenta às mudanças de paradigmas e imagens sobre o corpo em nossa época, a artista, responsável pelas performances, constrói com o grupo em cena um céu de corpos que bailam sob os signos do pós identitários, não identificáveis e inclassificáveis. O resultado é uma pesquisa de uma corporeidade em constantes mudanças e metamorfoses, com movimentos agressivos, recriando a ideia de peso, em contraponto com a leveza nos trabalhos anteriores. Grão do corpo é este novo espaço que se ressignifica, se reinventa e se refaz na beleza do diverso, como em uma rua, como em uma constelação.

São elas:

"Que Corpo é esse"

Intreprete-criadora Andréa Barbour 

Performance de solo baseada na poesia

"O corpo, a culpa, o espaço".

"Certa Solução"

Criação e concepção de Andrea Barbour, Katia Tortorella e Manoela Rangel . 

"Consagração do grão"

Criação e concepção de Andrea Barbour e Katia Tortorella. 

"Outrora e Agora"

Criação e concepção de Andrea Barbour e Katia Tortorella. 

Quando a Fé Ruge

Criação e concepção de Andrea Barbour, Manoela Rangel e Katia Tortorella. Direção Fernando Anitelli.

Seres de Passagem

 

Outros clipes com participação de Andréa Barbour
 

Deixa Ser - 2016                                                                                    Mãos Aos Desolados - 2014

 
 

O Sol e a Peneira - 2014                                                                         Esse Mundo Não Vale o Mundo - 2012

VENTRE ATELÊ

CNPJ 30.559.854/0001-73 

 

  • Facebook Limpa
  • Instagram Limpa
  • Vimeo limpo
  • Flickr limpo
  • Pinterest limpo

©© Creative Commons

por Andrea Barbour  2014